Carglass logo
Aguarde um momento
Blog Carglass® Voltar Voltar
conduzir-carro-automatico
Condução Segura

Conduzir um carro automático: tudo o que precisa de saber

Partilhar
Facebook Twitter Linkedin
22 de agosto 2023 | 4 min de leitura

Se é novo na condução automática, ou apenas quer aprimorar as suas habilidades, este artigo é para si. Fique a conhecer todas as dicas que precisa para conduzir um carro automático.


Se outrora era algo que era quase instantaneamente posto de parte pelos condutores, hoje em dia a direção automática já caiu nas boas graças de muitos. A grande maioria dos condutores, até prefere  um carro automático na hora de comprar um veículo novo. 


Por isso, é importante ficar a saber qual a real diferença entre estas duas direções (manual e automática), dicas a ter na hora do arranque, quais os cuidados a ter e como tornar a condução segura e suave.


Direção automática: tudo o que precisa de saber

A direção automática é o sistema responsável por controlar as mudanças de marcha num veículo sem que o condutor precise de as fazer manualmente. Estas são feitas sem precisar de as ajustar consoante a velocidade a que circula: tal trabalho passa para o próprio veículo que, através de um sinal de transmissão, seleciona de forma automática a mudança mais adequada para o percurso.


Caixa de velocidade manual VS caixa de velocidade automática

A grande diferença entre estas duas direções, prende-se com a inexistência do pedal da embraiagem nos carros automáticos. Nestes casos, apenas existem os pedais de travão e acelerador.


As caixas de velocidade manuais ainda são as mais comuns nas estradas portuguesas, e são equipadas com um pedal de embraiagem, que necessita ser pressionado para fazer a mudança de velocidade. Geralmente move-se um manípulo em forma de H, que contém 5 ou 6 velocidades (alguns carros, poucos, têm até 7 velocidades) para a frente, mais a marcha atrás.


Entenda o PRND

Apesar da diferença entre as duas caixas de velocidades, tal como nos carros manuais, existem posições às quais devemos prestar atenção. A diferença nos carros automáticos reside na frequência com que utilizamos essas posições e nas suas funções. 


As caixas de velocidades automáticas variam no números de velocidades que têm, mediante as marcas e modelos. Contudo, o normal é ter entre 6 a 9 velocidades. Para além disso, uma caixa de velocidades automática está normalmente categorizada com 4 iniciais: "P”, "R”, "N” e "D”, cada uma com um significado próprio.

P – Park: posição que deve selecionar quando estacionar o veículo.

R – Reverse: para fazer marcha atrás.

N – Neutral: por outras palavras, o "ponto morto”.

D – Drive: a opção que deve selecionar para avançar com o veículo.


Uma vez selecionada a posição D, a mudança de velocidade é feita de forma automática, sem a intervenção do condutor.


Como iniciar a marcha

Ao conduzir um carro automático, embora seja bastante fácil e intuitivo, notamos que o início da marcha difere um pouco daquilo a que estamos habituados com veículos tradicionais. Mas é tudo uma questão de hábito. Lembre-se de que só pode mudar de P para D ou de D para R com o veículo imobilizado e que a existência da funcionalidade P não invalida as funções do travão de mão, especialmente se estacionar numa subida.


No que diz respeito ao início da marcha, siga estes 8 passos para o pôr o seu carro automático a andar:


  1. Certifique-se de que o travão de mão está bem preso.
  2. Coloque o comando das mudanças na posição P ou N. 
  3. Ligue o carro.
  4. Carregue a fundo no pedal do travão. 
  5. Mude o comando das mudanças e desta vez selecione a posição D (para seguir em frente) ou R (para fazer marcha atrás).
  6. Baixe lentamente o travão de mão.
  7. Ao mesmo tempo, levante de forma calma o pé do travão.
  8. O carro começar-se-á a mover e poderá controlar a velocidade através do pedal do acelerador. 

Como imobilizar o carro

A ausência da embraiagem é aquilo que pode causar mais constrangimento, essencialmente em paragens mais frequentes – seja perante um sinal de trânsito vermelho ou uma passadeira, por exemplo.
No que diz respeito a este tópico, a opinião não é consensual: há quem defenda que, para imobilizar o veículo, colocar o carro na posição N é o mais indicado, poupando assim mais combustível, uma vez que o motor não se encontra a ser constantemente solicitado. Por outro lado, colocar o comando das mudanças na posição P também pode facilitar a manobra, caso queira parar o carro durante um longo período de tempo.



Vantagens e desvantagens dos carros automáticos

Vantagens

  • Torna-se mais fácil de conduzir para os iniciantes, havendo menos pedais para gerir e menos ações complexas - como o ponto de embraiagem, por exemplo -.
  • Tornam a viagem mais relaxada, sobretudo em situações de trânsito e pára-arranca.
  • Permitem consumos significativamente mais baixos, sobretudo em auto-estrada, pois têm mais velocidades e permite que o motor vá menos forçado.
  • Permite uma troca mais rápida de mudanças, reduzindo o tempo de aceleração.
  • Evita que tenha que tirar as mãos do volante para mudar de velocidade, aumentando assim os níveis de segurança.

Desvantagens

  • A manutenção destas caixas é muito mais cara que a manutenção de uma caixa manual. Embora estejam menos sujeitas a reparações, assim que o tiver que fazer, a conta facilmente ascenderá aos milhares de euros.
  • Um carro equipado com uma caixa automática custará em média mais 2000 euros do que um com caixa manual.
  • Algumas caixas mais antigas, ou atuais de apenas uma embraiagem, podem ser bastante lentas e imprevisíveis nas mudanças de velocidade. Assim, podem tornar-se um bocadinho irritantes, sobretudo se quiser fazer uma ultrapassagem mais rápida.
  • Tem um maior consumo de óleo do que as caixas manuais. Por isso, deve estar sempre atento aos níveis de lubrificantes, para evitar dissabores custosos.

Cuidados ao conduzir um carro automático

  • O seu pé esquerdo tem de estar imobilizado: Ao contrário de um veículo com caixa de velocidades manual, o pé esquerdo não é utilizado para acionar a embraiagem. É essencial manter o pé esquerdo imóvel e usar apenas o pé direito para acelerar e travar.
  • (P)ark não é travão de mão: À semelhança dos carros manuais, continua a existir travão de mão. Utiliza-se a posição P para substituir o travão de mão, mas deve-se recorrer ao tradicional comando (especialmente em subidas), para evitar o sofrimento desnecessário da transmissão. Em paragens longas é aconselhável colocar em N.
  • Não trocar de posição em movimento: Evite trocar de posições da caixa de velocidades enquanto o veículo estiver em movimento. Isso pode causar danos à transmissão e comprometer a sua segurança.
  • Posição S e W: Alguns carros automáticos possuem posições adicionais, como S (sport/desportivo) ou W (winter/inverno). Essas posições alteram a resposta da transmissão. Utilize-as conforme necessário, de acordo com as condições de condução.
  • Botão de desbloqueio: A alavanca de uma caixa automática conta com um botão que a desbloqueia, para selecionar o modo de condução. É importante pressionar esse botão ao selecionar as diferentes posições da transmissão.
  • Caixas com patilhas: Alguns veículos automáticos possuem patilhas localizadas atrás do volante, permitindo que o condutor faça as mudanças de marcha manualmente. Familiarize-se com o funcionamento dessas patilhas, caso seu veículo possua essa funcionalidade.
  • Óleo da caixa de velocidades: O óleo da caixa de velocidades automática é crucial para o seu bom funcionamento. Verifique regularmente o nível e a qualidade do óleo e siga as recomendações do fabricante para as trocas periódicas.
  • Caso seja rebocado, tenha atenção: Se tiver de recorrer a um reboque, certifique-se que deixa o carro em ponto morto, tal como num carro de mudanças manuais. Caso contrário, pode causar uma avaria realmente dispendiosa.
Partilhar
Facebook Twitter Linkedin
Ver todos posts do Blog

Também lhe pode interessar

Amaxofobia: Como perder o medo de conduzir

Ver artigo

Afinal, posso ou não conduzir de chinelos?

Ver artigo
Faça já a marcação online e tenha o seu vidro reparado rapidamente!