Carglass logo
Aguarde um momento
Blog Carglass® Voltar Voltar
seguranca-ativa-e-passiva
Condução Segura

Segurança ativa e segurança passiva: compreenda as diferenças

Partilhar
Facebook Twitter Linkedin
18 de outubro 2023 | 7 min de leitura

Ao conduzir, estamos constantemente expostos a diversos riscos que podem ameaçar a nossa segurança, a dos restantes passageiros e ocupantes das vias. Felizmente, a indústria automóvel tem avançado consideravelmente na implementação de tecnologias que visam não apenas proteger os ocupantes em caso de acidente, mas também prevenir os acidentes em primeiro lugar.

A segurança ativa engloba tecnologias e sistemas projetados para evitar acidentes e ajudar o motorista a manter o controlo do veículo em situações desafiadoras. Desde sistemas de travagem de emergência a controlos de estabilidade avançados, podemos dizer que a segurança ativa é como que um escudo invisível que nos protege enquanto conduzimos. Por outro lado, a segurança passiva concentra-se na minimização dos danos em caso de colisão, com recursos como airbags, cintos de segurança e estruturas de absorção de impactos.

Segurança Ativa vs. Segurança Passiva

Para compreender em pleno a importância da segurança rodoviária, é crucial entender a diferença fundamental entre dois conceitos essenciais: segurança ativa e segurança passiva.

Segurança ativa

A segurança ativa é o primeiro nível de defesa contra acidentes no trânsito. Como já referido, esta concentra-se em prevenir colisões e ajudar o condutor a manter o controlo do veículo em diversas condições de condução. Aqui estão alguns dos principais componentes da segurança ativa:

Amortecedores e pneus

Os amortecedores e os pneus são componentes críticos da segurança ativa de um veículo. Embora sejam frequentemente subestimados, desempenham um papel fundamental na estabilidade, aderência e capacidade de manobra do veículo. Estes são o único ponto de contacto entre o carro e a estrada, que vão sofrendo um grande desgaste ao passar do tempo. É, por isso, imprescindível não abdicar da manutenção destes componentes, de forma a que mantenham sempre o seu bom estado e cumpram a sua função no que toca à segurança ativa.  

Sistema de bloqueio (ABS)

O sistema de travagem antibloqueio - comumente conhecido como ABS -, é uma das tecnologias de segurança ativa mais importantes. Esta impede que as rodas travem durante uma travagem intensa, permitindo que o condutor mantenha o controlo direcional do veículo. 
Como funciona: O ABS monitoriza constantemente a velocidade das rodas individuais. Se uma ou mais rodas começarem a travar, o sistema modula a pressão de travagem aplicada às rodas, evitando que estas deslizem. Isto permite ao condutor manter o controlo do veículo e fazer manobras evasivas, se necessário, durante a travagem.

Direção assistida

A direção assistida é uma tecnologia que facilita o movimento do volante, tornando a direção mais fácil e precisa. Isto contribui significativamente para a segurança ativa.
Como funciona: A direção assistida utiliza sensores para monitorizar a velocidade do veículo e a força aplicada ao volante por parte do condutor. Com base nesses dados, ajusta a assistência da direção, tornando-a mais leve em baixas velocidades (facilitando manobras) e mais firme em altas velocidades (melhorando a estabilidade). Isto ajuda a manter o controlo do veículo em diversas situações de condução.

Sistema de tração das rodas

Este sistema de tração é responsável por transmitir a potência do motor para as rodas de forma eficaz, garantindo a tração adequada em diferentes condições de estrada.
Como funciona: Em veículos com tração nas quatro rodas ou tração dianteira, o sistema distribui a potência do motor entre as rodas de forma dinâmica, conforme necessário. Isto é especialmente importante em superfícies escorregadias, onde a distribuição de potência adequada ajuda a evitar derrapagens e melhora a estabilidade do veículo.

Controlo de estabilidade

O controlo de estabilidade é uma tecnologia que monitoriza continuamente o comportamento do veículo e ajuda a evitar derrapagens e perda de controlo.
Como funciona: O sistema monitoriza a trajetória do veículo e, se detetar uma possível perda de controlo, intervém automaticamente, reduzindo a potência do motor e travando, para corrigir a trajetória. Isto é particularmente útil em situações de derrapagem ou deslizamento das rodas, ajudando a manter o veículo na trajetória desejada.

ADAS (Advanced Driver Assistance Systems)

Os Sistemas Avançados de Assistência ao Condutor - ou ADAS -, representam um conjunto de tecnologias que melhoram significativamente a segurança ativa.

Exemplos de ADAS:
  • Aviso de saída da faixa de rodagem: alerta o condutor quando o veículo está a sair da faixa de rodagem inadvertidamente.
  • Travagem de emergência automática: deteta obstáculos à frente e, se o condutor não reagir, aplica os travões automaticamente para evitar colisões.
  • Alerta de colisão: avisa o condutor sobre a aproximação rápida de outros veículos ou obstáculos.
  • Alerta de sentido contrário: alerta quando o veículo está a entrar numa via nano sentido errado.
  • Sensor de ângulo morto: indica a presença de veículos ou obstáculos no ângulo morto do condutor.
  • Assistência inteligente de velocidade: mantém o veículo a uma velocidade segura em relação ao trânsito à frente.
  • Monitorização da pressão dos pneus: alerta o condutor sobre a pressão inadequada dos pneus, ajudando a evitar problemas de aderência.
  • Sistema anti-sono: monitoriza o comportamento do condutor e alerta quando sinais de sonolência são detetados.

Estes sistemas ADAS não apenas tornam a condução mais segura, mas também ajudam a prevenir acidentes, proporcionando assistência adicional ao condutor e alertando para potenciais situações de perigo.

Em conjunto, estas tecnologias de segurança ativa formam uma rede de proteção que ajuda os condutores a manter o controlo do veículo, evitar acidentes e enfrentar com segurança as complexidades das estradas modernas. A sua implementação contínua e aprimoramento são vitais para garantir que a segurança no trânsito continue a evoluir e a proteger os ocupantes dos veículos.


seguranca-ativa-e-passiva

Segurança passiva

A segurança passiva, por outro lado, é o segundo nível de defesa, que entra em ação após o acidente ter ocorrido, de modo a minimizar os danos aos ocupantes do veículo.

Airbags

Os airbags são dispositivos essenciais da segurança passiva que inflam rapidamente em caso de colisão, de modo a proteger os ocupantes do veículo.
Como funcionam: Os airbags são acionados por sensores que detetam desacelerações bruscas associadas a colisões. Quando uma colisão é detectada, os airbags são inflados em milissegundos, criando uma almofada de ar entre os ocupantes e as partes rígidas do veículo, como o volante, o painel de instrumentos ou as portas. Isso absorve a energia do impacto e reduz o risco de lesões graves na cabeça, no peito e no rosto dos ocupantes.

Cintos de segurança

Os cintos de segurança são um dos elementos mais básicos e eficazes da segurança passiva.
Como funcionam: Os cintos de segurança mantêm os ocupantes no lugar durante uma colisão. Estes funcionam através de uma combinação de tiras de tecido resistente e mecanismos de travagem. Em caso de acidente, os cintos de segurança impedem que os ocupantes sejam lançados para fora do veículo ou colidam com as partes internas, minimizando, assim, o risco de lesões graves.

Zonas de deformação

As zonas de deformação são áreas cuidadosamente projetadas na estrutura do veículo que são projetadas para absorver e dissipar a energia do impacto em caso de colisão.
Como funcionam: Quando ocorre uma colisão, as zonas de deformação deformam-se de forma controlada, absorvendo a maior parte da energia do impacto. Isto reduz a desaceleração dos ocupantes do veículo, minimizando o risco de lesões. As zonas de deformação são geralmente localizadas na parte frontal e traseira do veículo.

Apoios de cabeça

Os apoios de cabeça, muitas vezes negligenciados, desempenham um papel crucial na prevenção de lesões cervicais em caso de colisão traseira.
Como funcionam: Os apoios de cabeça são ajustáveis em altura e posicionamento e são projetados para apoiar a cabeça dos ocupantes do veículo. Em caso de colisão traseira, estes ajudam a manter a cabeça alinhada com o pescoço, reduzindo o risco de lesões no pescoço e nas costas.

Para-brisas laminados

Os pára-brisas laminados são feitos de duas camadas de vidro com uma camada de plástico intercalada.
Como funcionam: Em caso de colisão, o pára-brisas laminado ajuda a manter a sua integridade estrutural, impedindo que se quebre em pedaços. Isto reduz o risco de ferimentos causados por estilhaços de vidro que possam ser projetados e ajuda a manter a estrutura do carro em caso de capotamento, protegendo os ocupantes.

Cadeiras para crianças

As cadeiras para crianças são projetadas especificamente para proteger crianças em caso de acidente.
Como funcionam: As cadeiras para crianças são projetadas para se ajustar ao tamanho e à idade da criança, proporcionando suporte adequado à cabeça e ao corpo. Estas ajudam a manter as crianças seguras e protegidas em caso de colisão, reduzindo o risco de lesões graves.

Sensor de identificação de ocupantes do veículo

Os sensores de identificação de ocupantes do veículo são utilizados para determinar se os airbags devem ser ativados e com que intensidade, dependendo da presença e da posição dos ocupantes.
Como funcionam: Os sensores de ocupantes detetam o peso, a posição dos assentos e o uso dos cintos de segurança para determinar se um airbag deve ser ativado. Isto ajuda a evitar que os airbags sejam acionados desnecessariamente, reduzindo o risco de lesões para crianças e ocupantes de baixa estatura.

Sensor de alerta de pedestres

Os sensores de alerta de pedestres são projetados para detetar a presença de pedestres na proximidade do veículo e, em alguns casos, tomar medidas para evitar colisões.
Como funcionam: Estes sensores utilizam tecnologia de radares, câmeras ou sensores de ultrassom para detetar pedestres próximos ao veículo. Quando um pedestre é detetado e uma colisão é iminente, o sistema pode alertar o condutor ou, até mesmo, ativar sistemas de travagem de emergência para evitar ou reduzir o impacto de uma colisão com um pedestre.

Estes componentes de segurança passiva são projetados para minimizar o risco de lesões em caso de acidente, protegendo assim os ocupantes do veículo. Quando combinados com sistemas de segurança ativa, formam um sistema completo de segurança automóvel, que trabalha em conjunto para tornar as estradas mais seguras para todos os envolvidos.

Partilhar
Facebook Twitter Linkedin
Ver todos posts do Blog

Também lhe pode interessar

O seu automóvel está em fim de vida? Saiba tudo sobre o abate de carros

Ver artigo

Carglass® recicla! A importância da reciclagem de vidro

Ver artigo

Quer comprar um carro elétrico? Conheça os incentivos do Estado

Ver artigo
Faça já a marcação online e tenha o seu vidro reparado rapidamente!