Carglass logo
Aguarde um momento
Blog Carglass® Voltar Voltar
mecanico-a-programar-centralinas-og
Manutenção do Carro

Centralinas: o que são e qual a importância no funcionamento do carro

Partilhar
Facebook Twitter Linkedin
13 jun 2024 | 4 min de leitura

Se lhe falarmos de "microcomputadores geniais escondidos estrategicamente pelo carro”, sabe do que estamos a falar? Venha connosco explorar o universo das centralinas.

Imagine um carro como um organismo complexo, com diversos sistemas e funções que trabalham em harmonia para proporcionar uma experiência de condução segura e agradável. No centro desses componentes reside o "cérebro" do veículo: as centralinas.

Centralina: o que é?

As centralinas, ou Unidades de Controlo Eletrónico (UCEs), são dispositivos eletrónicos avançados que desempenham um papel vital no funcionamento de praticamente todos os aspetos do automóvel. Para compreender completamente a importância das centralinas, é útil pensar nelas como os "cérebros” do seu carro. Assim como o cérebro humano interpreta e responde a sinais do ambiente, as centralinas monitorizam uma série de sensores distribuídos pelo veículo, interpretam os dados recebidos e respondem em conformidade com os inputs recebidos.

De uma maneira mais simples: as centralinas são minicomputadores altamente especializados, responsáveis por coordenar e controlar uma variedade de sistemas e funções automóveis, desde a gestão do motor e da transmissão até o controlo dos sistemas de segurança e conforto.

Como funcionam?

Cada centralina é programada com algoritmos e software específicos, desenvolvidos pelos fabricantes de automóveis para atender às exigências de desempenho, economia de combustível e emissões. Estas unidades recolhem dados em tempo real dos sensores espalhados pelo veículo e, com base nessas informações, as centralinas tomam decisões instantâneas sobre ajustes necessários.

Adicionalmente, as centralinas desempenham um papel fundamental na comunicação entre os diferentes sistemas do veículo. Por exemplo, quando o sistema de travagem ABS (acrónimo para a expressão alemã Antiblockier-Bremssystem) deteta uma perda de tração numa das rodas, envia um sinal para a centralina do motor reduzir a potência do motor, ajudando a restaurar a aderência e a estabilidade.

Existem diferentes tipos de centralinas, cada uma com a sua própria função especializada para garantir que o carro funcione de maneira eficiente e segura:
  • Sistema de injeção do combustível: gere a injeção de combustível, ignição e outros aspectos essenciais do desempenho do motor;
  • Sistema de travões antibloqueio (ABS): garante travagens seguras e controladas, mesmo em estradas mais escorregadias;
  • Sistema de airbags: ativa os airbags em caso de colisão para proteger os ocupantes do veículo;
  • Módulo de controlo do ar condicionado: garante o seu conforto, controlando a temperatura, ventilação e humidade do interior do carro;
  • Módulos dos cintos de segurança: responsáveis por monitorizar e controlar o funcionamento dos cintos de segurança, garantindo que estão sob tensão e operacionais em caso de colisão.
  • Sistemas de aviso de desgaste: monitorizam o desgaste dos componentes do veículo e alertam o condutor quando é necessário realizar a manutenção ou substituição de peças.

A importância das centralinas

  • Segurança: como já referido, as centralinas desempenham um papel muito importante na gestão dos sistemas de segurança do veículo, como o ABS ou os airbags. Monitorizam constantemente as condições da estrada e do veículo para garantir respostas rápidas e eficazes em situações de emergência;
  • Desempenho: ao otimizar continuamente o funcionamento do motor, transmissão e outros sistemas, as centralinas ajudam a maximizar o desempenho do veículo, o que resulta numa melhor aceleração, eficiência de combustível e resposta do acelerador;
  • Eficiência: as centralinas são projetadas para otimizar o consumo de combustível e reduzir as emissões, o que garante que o carro opere de forma eficiente e ambientalmente responsável;
  • Diagnóstico de problemas: as centralinas são equipadas com capacidades de diagnóstico avançadas, permitindo a deteção precoce de problemas mecânicos e eletrónicos. Isto ajuda os técnicos a identificar e corrigir falhas antes que se tornem problemas maiores;
  • Adaptabilidade: as centralinas são programadas para se adaptar a uma variedade de condições de condução onde ajustam automaticamente as configurações do veículo para proporcionar a melhor experiência de condução possível em qualquer situação.

mecanico-a-segurar-centralina

Reprogramação das centralinas: saiba em que consiste

A reprogramação das centralinas é um procedimento que envolve a modificação do software ou dos parâmetros de calibração das centralinas do veículo. Este processo é realizado para ajustar o desempenho, a economia de combustível, a resposta do acelerador e outros aspetos do funcionamento do veículo de acordo com as preferências do proprietário ou para otimizar o desempenho do veículo para usos específicos, como corridas.

Que parâmetros se podem alterar numa reprogramação de centralinas?

  • Resposta do acelerador;
  • Temperatura do motor;
  • Rotações em que o motor atua em cada situação;
  • Alteração do funcionamento da caixa de velocidades automática.

Devo optar pela reprogramação das centralinas? Conheça os benefícios e riscos

Benefícios

  • Aumento significativo da potência do automóvel;
  • Otimização para uma melhor economia de combustível; injeção de combustível e outros fatores relacionados à eficiência do motor.
  • Melhoria da resposta do acelerador tornando o carro mais ágil e responsivo ao toque do pedal;
  • Experiência de condução mais personalizada e satisfatória ao adaptar o carro às suas preferências individuais.

Riscos

  • A maioria dos fabricantes não aprova a reprogramação da centralina e isso pode anular a garantia do carro, deixando o proprietário responsável por quaisquer reparos necessários;
  • Uma reprogramação mal feita pode resultar em danos ao motor;
  • A reprogramação incorreta pode comprometer a segurança do veículo, o que pode causar problemas de combustão, sobrecarga do motor e outros problemas potencialmente perigosos;
  • Em algumas jurisdições, a reprogramação da centralina pode ser considerada ilegal e sujeita a multas ou outras penalidades legais.

3 recomendações importantes se optar por reprogramar as centralinas

  1. Escolha um profissional qualificado e experiente: a reprogramação é um processo delicado que deve ser feito por um profissional qualificado e experiente. Certifique-se de pesquisar e escolher um profissional com boa reputação e experiência em reprogramar as centralinas do seu modelo de carro;
  2. Discuta os seus objetivos: antes de iniciar a reprogramação, converse com o profissional sobre quais os seus objetivos e expectativas para a reprogramação. Isto ajuda o profissional a determinar se a reprogramação é a opção ideal, assim como a escolher o programa de reprogramação mais adequado às suas necessidades e ao que pretende;
  3. Considere os riscos: antes de tomar qualquer decisão, é muito importante estar ciente dos riscos envolvidos na reprogramação das centralinas (acima descritos). Avalie cuidadosamente os prós e contras e só prossiga se estiver disposto a assumir os riscos.
Partilhar
Facebook Twitter Linkedin
Ver todos posts do Blog

Também lhe pode interessar

Conheça os hábitos que danificam a embraiagem e saiba como evitá-los

Ver artigo

Como reparar o vidro partido do carro? Conheça o processo

Ver artigo

Volante bimassa: o que é e para que serve

Ver artigo
Faça já a marcação online e tenha o seu vidro reparado rapidamente!